Juan Mabromata / AFP

Cinco nomes para assumir o lugar de Tite após a Copa do Mundo do Catar

Esse é o projeto de Tite à frente da Seleção Brasileira. Técnico da equipe desde 2016, o treinador revelou que seu trabalho terminará quando a campanha do Brasil no Catar chegar ao fim.

É a Copa do Mundo e tchau!

Juan Mabromata / AFP

Como ainda não há um perfil traçado para a busca por um substituto, GZH apresenta cinco nomes com características diferentes que poderiam assumir a equipe a partir de 2023.

FRANKLIN JACOME / POOL

O ex-técnico gremista sempre foi sincero sobre seus objetivos. Não escondia que desejava um dia comandar o Flamengo e que sonha com a Seleção. Antes de assumir o clube carioca no ano passado, Renato foi cogitado para substituir Tite, caso o treinador fosse demitido. 

RENATO PORTALUPPI 

Marco Favero / Agência RBS

Apesar dos bons números à frente do Rubro-Negro, com aproveitamento de 72,8%, a imagem que ficou de seu trabalho não foi das melhores. A falta de título pesou na avaliação. A consequência é que passou a ser um candidato com algum índice de rejeição, mas, se a CBF quiser um brasileiro, Renato está entre os concorrentes mais fortes.

Pedro Souza / Atletico-MG

Seu nome nunca esteve vinculado à Seleção, mas seus últimos dois trabalhos o candidatam ao cargo. Em 2020/21, conseguiu levar a modesta equipe do Santos à final da Libertadores e, com o Atlético-MG, levou as taças do Campeonato Mineiro, do Brasileirão e da Copa do Brasil.    

CUCA 

Staff Images / CONMEBOL

Cuca é um dos técnicos em atividade mais vitoriosos do futebol brasileiro. Aos 58 anos, ainda é jovem para profissão e, assim como Renato, é visto como um bom gestor de grupo, o que é considerado fundamental em um elenco estrelado como o da Seleção Brasileira. 

Paul ELLIS / AFP

Guardiola nunca escondeu a sua admiração pela Seleção Brasileira. O time da Copa de 1982 é uma das equipes que ele mais admira. No ano passado, o treinador afirmou que o próximo passo de sua carreira deve ser comandar uma equipe nacional.  

PEP GUARDIOLA 

Em 2015, Daniel Alves, comandado pelo catalão no Barcelona, revelou que o treinador queria treinar o Brasil.   — O Pep falou que queria fazer a gente campeão do mundo e tinha toda a estratégia. Falaram que não sabiam se o Brasil iria aceitar. Se não aceitamos o melhor do mundo, que pode nos fazer melhores, você não se preocupa com a Seleção Brasileira — disse.

SCOTT HEPPELL / AFP

Está aí a chance de juntar a necessidade e o desejo. O contrato de Guardiola com o Manchester City termina no fim da próxima temporada europeia. Para trazer o treinador, a CBF terá que desembolsar bastante para pagar o salário e a rescisão com o clube inglês.

Cesar Greco / Palmeiras/Divulgação

Um colecionador de títulos. Isso é o que Abel Ferreira se tornou no Palmeiras. Com as taças da Copa do Brasil e duas da Libertadores no currículo, o português realiza um trabalho longo (para os padrões brasileiros) e sólido no clube paulista.  

ABEL FERREIRA 

Divulgação / @Palmeiras

Caso, após a saída de Tite, os dirigentes busquem um técnico vitorioso e mais pragmático, Abel pode ser uma boa opção.

Alexandre Vidal & Marcelo Cortes / Flamengo / Flamengo

Depois de algum tempo, um time voltou a encantar no futebol brasileiro. A proeza foi alcançada pelo Flamengo de Jorge Jesus em 2019. Aquela imagem ficou no imaginário dos amantes do jogo bonito, e o português passou a ser vinculado a clubes brasileiros com alguma constância.

JORGE JESUS

João Paulo Trindade / Benfica/Divulgação

Caso a cúpula da CBF queira um profissional para implementar um estilo mais ofensivo, o nome do português pode ser cogitado.  

Antes de ser demitido pelo Benfica no final do ano passado, Jesus falou sobre essa possibilidade. — A seleção do Brasil nunca foi treinada por um estrangeiro. Penso que também não vou ser eu. Agora, qualquer treinador do mundo gostaria de treinar a seleção do Brasil — declarou em novembro.

Confira outras matérias de Esportes

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Acompanhe as últimas notícias em GZH