Olga / stock.adobe.com

Hepatite infantil: o que se sabe sobre a doença que avança por 12 países

A hepatite é uma doença inflamatória que atinge o fígado. Pode ser causada por uma variedade de vírus infecciosos (hepatite viral) ou por agentes não infecciosos. Se manifesta em crianças e adultos - a hepatite infantil atinge pacientes de até 16 anos.

O que é?

Mercedes Fittipaldi / stock.adobe.com

A maioria dos casos de hepatite infantil registrados recentemente estão na faixa etária entre dois e cinco anos e têm ocorrido, sobretudo, em países da Europa. Nos Estados Unidos e em Israel a doença também tem avançado.

Casos recentes de hepatite infantil

annanahabed / stock.adobe.com

No Reino Unido, assim como em outros países europeus, as crianças que apresentaram a doença realizaram testes que descartaram a contaminação pelos principais vírus causadores: os do tipo A,B,C, D ou E.

Crianças contaminadas

EVGENIY / astock.adobe.com

Os médicos descobriram que em alguns casos a contaminação ocorreu por adenovírus (comum em doenças leves) ou pelo vírus causador da covid-19. No entanto, a contribuição destes vírus para a hepatite assim como a causa primária da infecção não estão claros.

Origem desconhecida

Marcello Casal / Agência Brasil

O Ministério da Saúde informou que no Brasil não foram identificados casos de hepatite infantil por origem desconhecida.

Situação do Brasil

Pixel-Shot / stock.adobe.com

Segundo a Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido, os sintomas mais comuns da hepatite são fezes brancas ou acinzentadas, urina escura, coceira na pele, olhos e pele amarelados (icterícia), dores musculares e na articulação, cansaço, perda de apetite e dores abdominais.

Sintomas

jarun011 / stock.adobe.com

De acordo com a OMS, cerca de 354 milhões de pessoas vivem com a hepatite B ou C. Desse total, a maioria não tem acesso a testes ou tratamentos. Os vírus deste tipo podem causar doenças crônicas como câncer de fígado e cirrose hepática. Em casos mais graves, podem levar à morte.

Tipos clássicos

Pixel-Shot / stock.adobe.com

A OMS orienta que para prevenir a doença sejam mantidas medidas de higiene como lavar bem as mãos e ter uma boa higiene respiratória. Também é recomendado que quem sentir algum sintoma procure imediatamente atendimento médico.

Prevenção

Chinnapong / stock.adobe.com

Para tratar a doença, os médicos recomendam repouso, hidratação e boa alimentação. Em casos mais graves, poderá ser prescrito medicamentos como adefovir, dipivoxila, entecavir, interferon, e lamivudina. O tempo de tratamento pode durar de seis a 11 meses, de acordo com o quadro clínico do paciente.

Tratamento

Confira outras matérias de Saúde

GOSTOU DO CONTEÚDO?

Acompanhe as últimas notícias em GZH